Inovação pedagógica no ensino do design em contexto de cooperação com o exterior


Desculpe, o registro terminou.

O design como prática eminentemente projetual baseia-se no processo ativo de aprendizagem onde a cooperação com outras disciplinas e atores potencia a inovação e a qualidade da proposta gerada. Em resposta aos novos desafios ambientais, sociais e tecnológicos, a escola procura atualizar e adequar as estratégias de ensino-aprendizagem, promovendo relações com o tecido industrial regional, com a população local e a cooperação internacional. Duração: 1h | Vagas: 60 Duração: 1h


  • Data: 24-11-2020 10:00
  • Localização: Evento Online

Descrição

O design como prática eminentemente projetual baseia-se no processo ativo de aprendizagem onde a cooperação com outras disciplinas e atores potencia a inovação e a qualidade da proposta gerada. Em resposta aos novos desafios ambientais, sociais e tecnológicos, a escola procura atualizar e adequar as estratégias de ensino-aprendizagem, promovendo relações com o tecido industrial regional, com a população local e a cooperação internacional.

Duração: 1h | Vagas: 60

Objetivo geral

Partindo de três casos de estudo, pretende-se com esta apresentação demonstrar a forma como promovemos a aprendizagem dos alunos, desafiando-os em contextos interinstitucionais, laboratoriais – no estímulo da transição do design para economia circular na indústria –, ou em novos contextos sociais e interdisciplinares.

Com o PBL, o docente atua como um facilitador ou mentor, onde as necessidades de aprendizagem são identificadas e definidas pelos alunos com o objetivo de resolver um desafio. Tipicamente neste contexto o aluno inicialmente não tem conhecimento suficiente para a resolução do problema proposto, mas irá adquiri-lo à medida das necessidades e com o seu próprio ritmo.

Projetos

#1 bysteel – Circular Design Workshop: iniciativa promovida pela parceria da bysteel dstgroup e a Escola Superior de Design do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, com o intuito de explorar os resíduos e remanescentes de produção da bysteel. Durante os quatro dias do evento, alunos de licenciatura e mestrado de Design de Produto, perante a diversidade de materiais, foram motivados a explorar e criar novas aplicações e produtos para resíduos industriais na perspectiva da Economia Circular e da Sustentabilidade.

#2 Waste-Up: visa explorar resíduos ou subprodutos industriais locais e regionais aplicados no desenvolvimento de artefatos que se aproximam do conceito de Economia Circular. Este projecto enquadra-se num curso curricular de DesignIndustrial da Escola Superior de Design (IPCA) e integrado no Programa FriPort – Cooperação Luso-Holandesa para o Ensino Superior. Este último focado em Design de Produto, Digital e Serviços para a Economia Circular aplicada à gestão de plásticos, produtos e água e também aos setores de Turismo e Marítimo.

O desafio foi lançado nas disciplinas de Projecto em Design Industrial 1 e 3, do curso de Design Industrial. Foi proposto aos alunos desenvolverem produtos, identificando um ou mais materiais (resíduos industriais ou subprodutos) oriundos da indústria local, integrando-os numa estratégia de reaproveitamento ou up-cycling. No curso de um mês e meio, os alunos foram estimulados a criar artefatos de acordo com um argumento (simbólico, operativo e ético), condicionado pela sua viabilidade técnica, funcionalidade e adaptação ao propósito, espaço ou contexto.

#3 Slow Is More (SIM) / Precise Is More (PIM): Projeto internacional realizado em parceria com a EINA — Centre Universitari de Disseny i Art de Barcelona. Organizada em dois workshops — em Barcelos e Barcelona —, esta iniciativa reuniu alunos e docentes dos cursos de Design Industrial e Design Gráfico, de ambas as instituições, numa troca multicultural e multidisciplinar, de extensão à comunidade, quer pela criação de parcerias institucionais a nível local, quer pela visibilidade pública que cada projeto alcançou. Em cada workshop foram apresentados exercícios de física, design de produto e design de comunicação, com briefings “impossíveis de realizar, a priori”, motivando os alunos a projetar com criatividade, mas em períodos curtos de tempo. Os objetivos passavam por estimular os alunos a enfrentar a complexidade com mestria; a sentirem-se confortáveis com a incerteza do projeto (através da aplicação racional de determinadas normas) e, por último a verificarem através da experimentação, os problemas físicos e mecânicos de cada desafio, aceitando a possibilidade do erro como uma realidade geradora de conhecimento empírico.

Biografias dos formadores

Ana Catarina Silva é professora, investigadora e doutorada em Ciências e Tecnologias da Comunicação (U.Porto), com uma tese onde estuda o design do livro técnico num contexto editorial híbrido. O design e o contexto de edição de livros, as publicações independentes, o ensino da tipografia e da ilustração têm sido, nos últimos anos, temas de diversas comunicações e publicações nacionais e internacionais. É docente no IPCA, Escola Superior de Design, desde 2007, onde ensina Tipografia, Projeto Editorial e Design nos cursos de graduação e pós-graduação em Design Gráfico e Design Digital. É também membro da unidade de investigação CAOS (Communication, Art, Object and Synergies) / ID + (Research Institute for Design, Media and Culture) e membro do Design OBS., um Observatório Português do Design.

João Nunes Sampaio é professor Adjunto Convidado da Escola Superior de Design do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave. Doutorado em Design em 2016 pela Universidade de Aveiro, é membro integrado no Instituto de Investigação em Design, Media e Cultura [ID +], com foco na área do co-Design, métodos e ferramentas colaborativas para a prática do design. Desde 2012, é investigador ID + DESIS Lab, membro da rede internacional DESIS - Design for Social Innovation and Sustainability, onde esteve envolvido em projectos como: Katch_e: Aliança de Conhecimento sobre o Desenvolvimento de Produtos-Serviços para a Economia Circular e a Sustentabilidade no Ensino Superior (KATCH_e);OIS - Workshops de Inovação Social, Projeto MELES - “More Entrepreneurial Life at European Schools” Escola de Verão de Aveiro e CEBT Ibérico - Competências Empreendedoras de Base Tecnológica - Programa de Mentoria de Empreendedorismo.

Mantém como interesses de pesquisa e actividade profissional o design de produto, design colaborativo, estratégias de design thinking e ferramentas operativas para projetar cenários sustentáveis - nos quais o co-design incentiva uma abordagem ativa, envolvendo pessoas e stakeholders na geração de informação e desenvolvimento, levando a soluções eficazes e holísticas.